Moda na Angola - Angola Fashion Week

 Oi gente, sabe aquele sonho de ver uma passarela de moda cheia de mulheres negras maravilhosas, lindas e poderosas? Infelizmente ainda não é realidade no Brasil, (pois não temos tantas pessoas negras aqui, somos somente 52% da população) mas na nossa amada Angola é realidade e das mais belas. No ultimo final de semana ocorreu o Angola Fashion Week, um dos maiores eventos de moda da África.

O tema do evento foi Palanca Negra Gigante, que é uma subespécie bastante rara de antílope que apenas pode ser encontrada em Angola, único por sua beleza, vivacidade, a velocidade, foi escolhido como tema exatamente por sua raridade. 
O evento que começou em 2014, cresce a cada ano, e em 2016 teve uma cobertura de impressa ainda maior que dos anos anteriores, alem disso é uma excelente porta para novos estilistas mostrarem seus trabalhos, algumas marcas brasileiras famosas também abrilhantaram o evento como a Amapô Jeans, Ronaldo Fraga e Lenny Niemeyer, o Brasil marcou presença ainda com a modelo e apresentadora Ana Hickmann. 
Algumas fotos do evento que retirei da pagina do Facebook.






bjos 

LEIA MAIS

Look do Dia - Desafio do Clube de Blogueiras Negras de Beagá

 Quem não gosta de um look do dia? Ainda mais um que cabe no seu bolso, então o Clube de Blogueiras Negras de BH lançou um desafio com a #Inspirem7, ou seja, tínhamos que escolher uma peça e mostrar que dá pra usar a mesma roupa em varias ocasiões, porque roupa foi feita pra usar, lavar e usar de novo, podemos ter um look do dia bonito, combinando peças que temos ou como eu faço pegando algumas da minha mãe.
Algumas blogueiras são "acusadas" de viver em um mundo inalcançável com roupas luxuosas e caríssimas, mas nós do #CBNBEAGA além de blogueiras, somos, trabalhadoras, mães, estudantes, esposas, temos contas para pagar e não podemos e nem queremos comprar uma roupa, usar uma única vez e jogar fora.
Assim eu escolhi para os looks da semana, um vestido preto básico que eu comprei nas Lojas Renner, que deve ter custado no máximo R$20, porque eu sempre compro as roupas que estão em promoção(risos), elas são as que cabem no meu bolsinho de blogueira pobre.
Então vamos aos looks
1º Casaquinho da PlanetGirl e sapato da Cecconello e brinco made in china.

2º Casaco que mandei fazer anos atrás, SapatoVizzano dourado, turbante da Enia Dara Modas
3º Bota preta da Vizzano,  lenço verde que peguei da mamys


4ª Sapato Miúcha calçados, echarpe creme da mamys 

5º Camisa azul plissada, bota marrom
6º tênis, bolsa da feira do Paraguai kkkk e brinco Cida Nega Badu
7º Bota marrom, acessórios Cida Nega Badu e cinto bege.
 Um vestido preto, muitos acessórios e você cria varios look pro dia a dia, pra uma festa, pra passear no shopping, enfim, use usa criatividade e #usedenovonegras.
Bjos
LEIA MAIS

E ainda temos Blackface - Parte 2

Já conversamos aqui sobre o Blackface, lembram-se do episódio com a blogueira Renata Meins né, bom, mas não vim falar dela porque acho que ela aprendeu a lição e não fez mais Blacface nos eu canal no youtube, mas vim falar do humorista Paulo Gustavo, que também deu mancada quando resolveu reviver um de seus personagens, a Ivonete.

blackface

O personagem Ivonete é uma mulher negra, que usa roupas que não combinam, não tem “papas na língua”, é barraqueira, gosta de uma cachaça, muito samba, fala errado e sempre se mete na vida da patroa, dos vizinhos enfim de todo mundo, como é engraçada essa Ivonete né? Não, não é não, uma vez que, esse estereótipo da mulher ‘negra festeira, mal vestida e burra’, já cansou todas as mulheres negras do Brasil por não nos representar de maneira nenhuma.
Ainda tem aqueles que não se sentem ofendidos, mas nossa sociedade precisa entender que quem sabe o que é racismo ou não, são as pessoas negras, quem pode dizer o que me ofende ou não, sou eu, é sim, me sinto ofendida com personagens como a Ivonete, ou a Adelaide do Zorra Total, ou o “Africano” do Programa Pânico e demais "subcelebres" que decidem "homenagear" as pessoas negras.
blackface

Procurem aprender, revejam seus conceitos, conversem com quem entende do assunto, se você teve uma atitude preconceituosa peça desculpas, assim como o Paulo Gustavo pediu, após conversar e entender porque o blackface ofende e porque alguns personagens não deveriam existir. Leiam o pedido de desculpas dele divulgado no facebook:
“Nesses últimos dias li, ouvi, pensei e entendi que há uma longa discussão sobre o uso de "Black face" muito anterior e muito maior do que eu, minha carreira, minha personagem e o 220 volts, por isso decidi refazer a Ivonete sem que ela pareça uma caricatura risível da mulher negra. Ela não é. Ivonete é esperta, crítica, consciente e questionadora. É uma brasileira que passa por todas as dificuldades absurdas que todos passamos como a falta transporte eficiente, sistema de saúde precário, violência, etc etc etc... Ela se revolta, reclama, exige, sofre, mas não perde o rebolado, mantém-se de cabeça erguida, forte, guerreira e sobretudo alegre. Mas o Black face historicamente remete a experiências que são dolorosas para muitas pessoas e, mesmo não sendo a intenção, eu peço desculpas se ofendi ou magoei alguém. Eu posso pintar minha pele, posso fingir, representar, tentar dar voz a essa mulher, mas eu nunca saberei de verdade como é ser uma mulher negra. Nos textos, a alegria da personagem não fazia dela uma alienada, mesmo assim eu compreendi que a negra animada é um estereótipo que os movimentos negros combatem com razão pois na vida real, muitas vezes, não é nada engraçado. Apesar de conhecer e adorar muitas Ivonetes, ser negro no Brasil é difícil sim. Como ser mulher também é difícil; como ser gay também é difícil. Tanto na minha arte quanto na minha vida pessoal tenho feito o que posso pra tentar transformar o mundo num lugar melhor. Casei com o Thales, assumi isso publicamente, mudei minha certidão. Entendo que temos um grande processo de conscientização sobre o racismo, o machismo e a homofobia no Brasil e ele vem passando por etapas dolorosas. Eu não quero de forma alguma ser agente dessa dor, corroborar com preconceitos e manter o status quo de uma sociedade que necessita melhorar. Todos nós precisamos conversar e pensar mais a respeito. Eu tenho feito isso. Eu e a Ivonete.”
Ainda temos um caminho muito grande para percorrer, o preconceito existe, o racismo existe e esta na boca dos "formadores de opinião", precisamos calar essas bocas, precisamos mostrar que nossa cor não é caricata, não somos palhaças de circo, exigimos respeito, respeitem nossa luta e respeitem nossa cor.

bjos

LEIA MAIS

Ser blogueira negra - Os desafios que temos que enfrentar.

Ser blogueira negra é querer falar de um assunto, mas aparecer outro muito melhor (risos), eu estava lendo sobre a importância do premio de Ícone da Moda que a Beyoncé ganhou no CFDA Fashion Awards , porque queria escrever para vocês sobre ele, mas me deparei com o discurso dela (maravilhoso pro sinal) e uma frase me chamou a atenção e foi a seguinte: “Quando começamos as Destiny’s Child, as marcas não queriam vestir quatro negras com curvas e do interior”, é que me fez pensar nos desafios que enfrento por ser uma blogueira negra.
Beyoncé no CFDA Awards
 

Nesta vida de blogueira já passei por varias situações, a maioria são situações engraçadas e boas, como conhecer pessoas maravilhosas ou ser reconhecida na rua (é uma delicia) e ter seguidores carinhosos e que acabam virando amigos, mas algumas situações são de puro preconceito, como vocês sabem, blogueiras sempre procuram empresas (ou empresas procuram as blogueiras) para serem nossas parceiras, algumas nos enviam produtos,  outras nos convidam para eventos e assim, nos promovemos e promovermos os produtos das empresas. Uma empresa informou em seu instagram que procurava blogueiras, então entrei em contato com eles para perguntar como funcionariam as parcerias e eles me responderam que não estavam fechando parcerias, mas eles não estão procurando blogueiras? Estranho isso né?




Não se encaixar no perfil, não estar adequada, não ser aquilo que eles procuram, blogueiras negras sempre são as que não se encaixam, sabemos que as empresas brasileiras são preconceituosas e que não gostam de associar seus produtos a imagem de uma pessoa negra, porque infelizmente, mesmo vivendo em um país onde a maioria das pessoas são negras, ainda “compramos” a ideia de que o branco é mais bonito, mais adequado e melhor que o negro. Quando comecei meu blog, sabia perfeitamente dessa realidade, muitas vezes pensei em desistir, tive momentos de tristeza, cheguei a pensar que seria mais fácil nunca mais escrever nada ou publicar nada, mas ao fazer isso, eu estaria deixando para trás meninas, que assim como eu, entram na internet procurando por alguém que se pareça com elas, que mostrem que existem mulheres negras no planeta, muitos podem até menosprezar meu trabalho, mas eu continuo e persisto, não posso desistir diante de algumas recusas (no meu caso várias kkkk).

Blogueiras negras, não desistam, não recuem, não deixem que algumas recusas ou preconceitos, nos impeçam de avançar rumo ao nosso objetivo, que é mostrar que a mulher negra é bonita, inteligente, gosta de andar na moda, gosta de se sentir representada, gosta de produtos de beleza que sejam feitos para nós e nossos cabelos crespos (ou não), mostrar que não queremos ser padronizadas, que somos incríveis em tudo que fazemos, é que queremos respeito, tenho certeza que assim representaremos de verdade as mulheres negras do Brasil. Pode ser que hoje as empresas não queriam vestir, apoiar ou investir em uma blogueira negra, mas amanhã podemos ser uma Beyoncé (sonhar não custa nada).

Bjos
LEIA MAIS
Topo